quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Na terceira dimensão

Estava em nesta tarde a de ócio tentando encontrar algo interessante e inspirador, que me fizesse pensar sobre minha própria loucura e conflitos existenciais, quando me deparei com alguns vídeos bem interessantes, de pessoas mentalmente afetadas, segundo a perspectiva da nossa realidade atual, e pensei, por que não pensar sobre isso.

Pude experimentar em minha vida, vários estados de consciência alterada, já perdi por vários instantes a percepção da minha própria realidade, e me vi em realidades paralelas, tão distintas quanto minha própria sensação lábil pode identificar, como em treinamento, desenvolvendo minha glandula pineal, treinando meu "raciocinio racional"percebi que mesmo estando em mundos diferentes, por assim dizer, tudo parecia muito comum, todas as viagens de consciência, por mais distintas que parecessem, sempre existia algo muito em comum dentro delas, e pensei, será que sempre que me transporto para essas supostas realidades alternativas na verdade eu estou me libertando da verdadeira alucinação que é nosso suposto mundo real, então parei pra pensar mais uma vez na sinceridade lida nos olhos de tantos julgados e condenados loucos. E se ele estiverem falando a verdade? E se a realidade de fato fosse composta por uma psicodélica fusão de todas as realidades individuais, unidas em um elo que “congruentemente” nos desse a percepção de verdade, como seria nosso cotidiano? Acredito que, repleto de novos lideres, espaçonaves posariam em nossos jardim, mulheres nuas me serviriam leite em quanto eu jogasse pimbal com as bolas do Machete, ouvindo T-Rex em quanto sou indagado pelo mestre Lee Parry sobre a real verdade implícita na percepção geométrica das coisas, ao mesmo tempo em que fadas limpariam minha alma com pó de vidro e meus amigos fariam do espaço um grande campo de pelada com grama lilás, bola triangular e cerca de algodão, mas pare! Pense!


..........E se todas as alucinações, tendo como perspectiva a realidade tida como normal, tornarem a ser verdade? E se todas as visões e idéias daqueles condenados como loucos, se materializassem em verdade? Como seria esse nosso “mundo sano” hoje? Que cor teria o céu? Que formato teria a lua? Como seria as janelas do meu quarto? Que som perceberíamos do espaço, e a nossa volta? Será que os graves seriam agudos, médios seriam graves ,e agudos médios?


Não sei, só sei que para manter minha sanidade preciso as vezes estar muuuuiittoooo Loucoooo...escondido na minha própria realidade paralela !!!

Na terceira dimensão da toda realidade comum, tida como “normal” aos seus olhos, caro leitor.

Um poucos dos muitos de nos....